sábado, dezembro 16, 2006

Rúcula amarga.

Um só momento pode desfazer toda a seriedade do mundo. Há casais antigos embalados pelas mesmas modinhas que embalam casais hoje. E tudo passa por ali, seco. Secar as flores. Desvendar as teias. As plantas de Vovó não deveriam murchar. Por que murcham então, se não devem? Por quê dos carrapatos? Por quê das palavras tão grosseiras? Quero suavizar e você me arrebenta. O orgão por dentro está seco. Tem bebido demais? Eu também, infelizmente. Tenho buscado coisas que não foram feitas para mim. O que você tem buscado? Verdades inatingíveis? Passos largos que fogem da cruz, do abismo ou do furacão? O que você tem realmente gostado de fazer? Vamos lá, me diga, não vou censurá-la por isso. Se não quer dizer, não me importo. Se não quiser gozar, também. Se não quiser ficar, o dinheiro do táxi está sobre o criado-mudo. Se quiser se drogar e esquecer tudo, há um pouco de pó na gaveta, há Tequila no bar. O que você quiser, posso arranjar. Mas não quero nada; você se importa de eu não querer nada? Eu também gosto muito desta música. Não, não sei tocá-la. Sabe, eu toco muito mal; costumo dizer que toco para mim mesmo. Mas se você realmente quiser, posso aprendê-la. Você tem? Não, eu acho que não tenho mais camisinhas. Também não quero mais, páre com isso, é melhor. Você está cheirada, por isso quer tanto. Não, não é isso. Eu gosto sim de você, mas agora tá foda, eu tô no automático, marcha lenta, não dá. Já disse, se quiser ir embora, o dinheiro do táxi está ali. Esqueça o que eu disse sobre o pó na gaveta. Você não deve mais... Fotos? Tenho. Quer ver em álbuns ou no computador? Naturalmente, as fotos dos álbuns são da minha infância. Desde que as pessoas começaram a ter câmeras digitais, só tenho tido fotos em pastas no computador, nunca mais álbuns. De vez em quando me imprimem algo para presente, ou colam em seus murais; é, às vezes eu também cruzo com uma minha na casa de alguém. Mas não as tenho. Ah, aqui nesta caixa tem um álbum recente. É de um amigo que imprimiu todas as fotos de um ano inteiro em festas, jantares, almoços, passeios, todas em que eu estava. Olha só, algumas são bonitas né. Bom, fique à vontade, vou preparar algo para comer. Você gosta de rúcula e tomate seco? Não, não vou fazer algo só com rúcula e tomate seco, mas preciso saber se você gosta. Ok.

4 Comments:

Anonymous babi said...

gosto, tomate seco só se for o da nadir.
rúcula eu já me enchi. gosto mais do gosto dos outros. gosto tanto daqui. e de você.

8:31 PM  
Anonymous Tha said...

é, fotos digitais acabam não sendo vistas
principalmente as q os outros tiram

4:58 PM  
Anonymous alvarêz dewïzqe said...

perfeito o diálogo, mesmo não enxergando a segunda pessoa, é bem fácil percebe-la, a forma como as duas partes interagem. ritmo.

4:52 AM  
Anonymous talita said...

rúcula e tomate seco.

7:57 PM  

Postar um comentário

<< Home